Idioma

13 de jun de 2012

ObSeRvAçÕeS

     --- > Galera antes de tudo apertem o botão F5, assim vocês receberão a atualização do design do blog aí em suas casas (não requer instalação ou tempo adicional, é instantâneo), sem complicação para obterem um acesso mais rápido e fácil aos conteúdos. Grato a atenção, bom entretenimento a todos. < ---

                                                                                                                                       Juan de Marco

12 de jun de 2012

PLATÔNICA

            Bom pessoal, este mês em si é muito especial para milhões de pessoas. Dia 12 é celebrado o dia dos namorados, que para mim tornou-se ainda mais importante por ter sido a data que escolhi para o lançamento deste Blog.
            Fiz um soneto, que não fala ao certo sobre esta data, mas que fala sobre um sentimento que muitos já viveram a paixão platônica:




PLATÔNICA


Um dia vi você chegar
Andando meio que discretamente
Fiquei-me a imaginar
Sorrindo contigo, apenas a sonhar

Parei tudo para contemplar
Seu jeito singelo, doce e sereno
Quis aí então me aproximar
Mas não pude, tive que afastar

Quem era aquele?
Que ao seu lado estava?
E sua boca não beijava?

Ilusão ele chamava
Nos seus braços a sufocar
Meus desejos de te beijar




            Agradecimento especial a Raíssa China, por ter feito a ilustração para o post.

VERSOS LIVRES

            Um dia descaso e outro dia rancor, quem sabe restem boas lembranças antes do sol se por.

DUETO

                No mês passado eu e minha amiga Jennifer Astiley (blog - Essência de Moça) publicamos no Facebook um dueto que fizemos, meio que descontraidamente, para divulgar o meu projeto (agora blog - Amor & Ódio).
            Para quem não viu o postarei aí em baixo:



 

DUETO


“Na manha, desejo que você beba um gole doce de felicidade e sinta a imensidão do prazer pela vida em uma colher açucarada.” (Jennifer)


“ Quero que ti em plena noite fria se embriague da mais amarga e cruel tristeza que há de sobra neste maldito mundo... Precário seja! Caia no chão sentindo um vazio profundo, e como uma moribunda sinta a azeda sensação que a morte trás ao se aproximar.“ (Juan)


“ Atropele a morte, embriague-se de vida. Caia na rua fria por amor. Transborde um sorriso de flor. Rabisque a peça da vida com cores vivas. Antes de tudo! Esqueça o que remete ao medo, e viva abundantemente de mãos dadas com o tempo em tempo de ser feliz.“ (Jennifer)


“ Queres que eu faça o impossível? Da ilusão eu já vivi, e dela morri. Sigo no submundo e assisto rindo sarcasticamente vocês que buscam a utópica felicidade em plena desigualdade social. Que tal tentar fechar os olhos e ver um arco – íris de trevas? Em tempos de guerras as cores em tom de cinza me parecem agradáveis.” (Juan)


“ Ao fechar os olhos, o amor pela vida penetra nos poros revigorando as cores fortes que vivem dentro de nós. Feche os olhos! E Que o trem da vida possa parar em sua estação presenteando-o a tal felicidade que você não tem. Mergulhe em uma pequena gota da chuva, a felicidade pode estar escondida nela.” (Jennifer)

“ Dizem que a felicidade esta em coisas simples que a vida nos proporciona. Mas sou complexo demais para isso. Dentro de mim só há espaço para a tristeza e solidão. Vá! Siga em frente, busque e seja crente naquilo que te faz bem. Somente assim terei paz no que me satisfaz: Ficar longe de ti.” (Juan)


“ No seu profundo sentimento de solidão e de tristeza, há de ter pelo menos um resto dessa estranha felicidade. Se um dia eu me cansar de insistir que você a encontre, não quer dizer que desisti. Eu apenas estou dando liberdade como quer de encontrar sozinho! Se acha que é impossível, puxe uma cadeira, pegue um bom livro e espere que ela te encontre. Entre páginas e páginas existe fragmentos de felicidade.” (Jennifer)


“ Neste velho e inabitado coração nunca houve sequer um mísero vestígio deste sentimento. Lamento por não tê-la conhecido antes. Assim talvez eu tivesse mais instantes de misericórdia. Mas meu tempo acabou, a hora negra enfim chegou. Não puxarei um livro e sim o gatilho para me libertar deste alma chamada vida. Adeus pequena garota, nos vemos em algum pedaço do fim do mundo. Lá anjos choram lágrimas de sangue para libertar todos os mortais, que um dia tentaram buscar assim como eu, significado da santíssima felicidade.” (Juan)


“ Se não houve é porque esteve a vida toda em busca do banal. Ha coisas que acontece não porque queremos, e sim porque tem que acontecer. A vida te vira do avesso e você só precisa esfaquear os desagradáveis sentimentos obscuros que em ti vive, e insistir na felicidade. Porque ela não acontece porque tem que acontecer, ela anda acompanhada da gente. Somos um tanto quanto dispersos para não perceber que a vida toda ela caminhou ao nosso passo. Aprecie! Pois o mais belo sentimento de todos anda ao nosso lado.” (Jennifer)


FIM



            Queria aqui agradecer a todos os amigos e amigas que curtiram, compartilharam e comentaram este dueto em prol do meu projeto. Para meu espanto tive cerca de 50 compartilhamentos em menos de um mês de publicação. Pode até parecer pouco, mas para mim que não tive fontes de divulgação, foi uma imensa prova de carinho e atenção de todos. Muito obrigado!

DEVANEIO

            “Hoje tive uma leve sensação de ter visto seu rosto no meio da multidão. Nada pude fazer a não ser me arrepender de um dia tentar te esquecer”.

                                                                                                    Para minha musa inspiradora

BOAS VINDAS

Saudações meus caros leitores, é um imenso prazer estar aqui colocando em andamento este sonho, poder divulgar meu trabalho de forma interativa e descontraída com o grande apoio de vocês. Neste site abordaremos assuntos que fazem parte do nosso dia-a-dia, coisas que vivemos no passado, experiências que estão acontecendo no presente e pensamentos para trilhar um futuro... Nisso pondo em foco a dualidade AMOR & ÓDIO.
Sabemos que trilhar um mar de incertezas dá uma constante sensação de medo e insegurança diante algo tão grande chamado amanhã. Os mistérios da vida estão relacionados a fortes sentimentos que expressarei em forma de arte, isso em prol de almas que lutam diante tantos atritos, farei das palavras poderosas armas em busca da utópica felicidade. Teremos aqui a liberdade de olhar, expressar e assim encarar a sociedade com outros olhos, sem temer o bem e o mal que nela há.
        Meu objetivo aqui é relatar histórias que aconteceram com diversas pessoas, sejam ruins ou não falarei de temas de entendimento geral. Assim tentarei em frases colocar um ponto de reflexão, tentarei em poesias dar um pouco de inspiração e buscarei nestes depoimentos chegar a uma conclusão. Caso não conquiste isso terei certeza de que pistas aparecerão, para todos que aqui buscam refúgio para as dúvidas da vida. Conto com a ajuda de todos! 


                                                                                                         Juan de Marco